Cloridrato de Bupropiona

O cloridrato de bupropiona é uma substância que integra a ala dos remédios que funcionam como inibidores relativamente seletivos da recaptação de catecolaminas (noradrenalina e dopamina), com efeito mínimo sobre a recaptação de serotonina. Originalmente, é um antidepressivo, devido à forma como age no organismo.

A bupropiona produz três metabólitos ativos no seu processo de metabolismo no organismo, sendo eles a hidroxibupropiona, a tri-hidrobupropiona e a eritro-hidrobupropiona. Enquanto a primeira possui o mesmo efeito da Bupropiona, as outras duas variam entre metade e dois terços de seu efeito.

bupropionaJá a eliminação da substância se dá pela urina, sendo que estudos apontam que de cinco a oito dias depois da última vez que o remédio foi ingerido, a Bupropiona não se encontra mais no organismo.

É curioso o fato que em 1985 o remédio contendo a substância foi retirado de circulação nos Estados Unidos, uma vez que causava crises convulsivas nos pacientes que usavam as doses prescritas – as quais eram significantemente maiores do que as indicadas hoje em dia.

Indicações do Cloridrato de Bupropiona

Já que a Bupropiona tem como principal função inibir a recaptação da noradrenalina e da dopamina, a sua indicação principal é para tratamentos que exigem remédios da classe dos antidepressivos, como em casos de depressão. Mais recentemente também está sendo indicada para tratar o tabagismo, embora não existam estudos completos que atestem cientificamente o uso desse medicamento para quem deseja parar de fumar.

Acredita-se que seja eficiente para tratar o tabagismo porque a Bupropiona está envolvida com os mecanismos dopaminérgicos e noradrenérgicos. Além disso, o seu pico máximo de ação é em torno de três horas e sua meia-vida de aproximadamente 21 horas. O Cloridrato de Bupropiona é usado, ainda, em tratamento para emagrecer, já que ajuda no controle da ansiedade.

Contraindicações do Cloridrato de Bupropiona

O cloridrato de bupropiona é contraindicado em uma série de situações, entre elas, se o paciente for alérgico à Bupropiona ou a qualquer outra substância do remédio que tomar e se estiver usando outros fármacos que possuam em sua composição a Bupropiona. Indivíduos que tem epilepsia ou outros transtornos convulsivos também não devem usar o cloridrato de bupropiona.

O mesmo se aplica a quem possui ou já teve distúrbio alimentar, como anorexia ou bulimia, ou parou há pouco tempo de tomar tranquilizantes ou sedativos. Quem usou nos últimos 14 dias outros medicamentos para a depressão também não deve usar o cloridrato de bupropiona, bem como mulheres grávidas ou que estão amamentando e pessoas com insuficiência renal ou hepática.

Em outros casos, é preciso avaliar a possibilidade de tomar o remédio, como em pacientes com tumor no sistema nervoso, traumatismo craniano, problemas neurológicos ou doença cardíaca.

Efeitos Colaterais

Como em todos os medicamentos, inclusive os antidepressivos, o paciente que usar o cloridrato de bupropiona pode ter muitos efeitos colaterais ou apenas alguns, dos quais os mais comuns são os seguintes:

  • Ansiedade;
  • Irritabilidade;
  • Tremores;
  • Agitação;
  • Náuseas;
  • Distúrbios do sono;
  • Dor de cabeça;
  • Dor muscular/articular;
  • Febre;
  • Suor em excesso;
  • Convulsões ou ataques epiléticos;
  • Sensação de boca seca;
  • Faringite;
  • Estomatite;
  • Obstipação;
  • Dispepsia;
  • Anorexia;
  • Redução ou aumento de peso;
  • Alteração do paladar;
  • Fraqueza;
  • Erupções cutâneas;
  • Taquicardia;
  • Mudanças na pressão sanguínea.

Modo de Uso Cloridrato de Bupropiona

A pessoa só deve usar o cloridrato de bupropiona quando for prescrito por um médico especialista, sendo que a automedicação pode resultar em perigos para a saúde. Por isso, a melhor forma de tratar o tabagismo, depressão e outros problemas que exigem esse remédio e outros fármacos é buscando ajuda profissional.

Além disso, a dosagem certa vai depender o que você deseja tratar e apenas o médico após uma avaliação completa poderá descrever o melhor uso da substância. Quando o cloridrato de bupropiona é usado para tratar o tabagismo, aconselha-se o paciente a largar o vício completamente somente depois da segunda semana do uso do medicamento.

A bupropiona costuma ser usada em combinação com adesivos cutâneos de nicotina para pacientes que desejam parar de fumar. Isso é feito uma vez que os testes realizados comprovaram que a eliminação da Bupropiona e de seus metabólitos não sofre mudanças significativas quando é ministrada isoladamente nem ao ser combinada com adesivos cutâneos de nicotina. Aconselha-se não ingerir álcool ao longo do tratamento.