Sintomas de Ácido Úrico Elevado

O ácido úrico é uma substância que naturalmente o nosso organismo produz, por meio da quebra das moléculas de purina – proteína presente em diversos alimentos. O ácido úrico é metabolizado pelo fígado e quanto mais purina o ser humano consome, mais ácido úrico é produzido pelo corpo.

A quantidade de ácido úrico excessiva no organismo deve ser eliminada com a ajuda dos rins, por meio da urina. No entanto, quando isso não acontece, tornando a substância excessiva no sangue, pode resultar em problemas de saúde. Além disso, o nível de ácido úrico no corpo depende de três fatores principais: frequência e quantidade de urina expelida; produção da substância no corpo; e interferência de medicamentos.

Esses fatores podem estar associados aos quadros mais frequentes de ácido úrico elevado, como obesidade, alimentação inadequada, diabetes, acromegalia (doença crônica gerada por excesso de produção do hormônio do crescimento na vida adulta), hipertensão e consumo excessivo de álcool.

Como consequência dos níveis elevados da substância, formam-se pequenos cristais que se assemelham a agulhas bem finas, constituídos de urato de sódio. Essas anomalias podem se formar em diferentes locais do corpo, principalmente, nos rins, pele e articulações. Quando o problema chega a esse ponto, o indivíduo está com hiperuricemia. A falta da substância também é um problema e nesse caso se denomina hipouricemia.

Já as complicações mais comuns de quem está com os níveis anormais de ácido úrico no organismo são policitemia, toxemia gravídica, leucemia, insuficiência renal, psoríase, anorexia, cálculos renais, artrite úrica, acidose metabólica, litíase, doença úrica renal crônica e aguda e a gota.

Sintomas do Ácido Úrico Elevado

Para identificar o ácido úrico elevado, alguns sintomas são comuns em pessoas com esse problema, como a formação de cristais que se alojam em alguns locais do corpo. Além disso, outros sinais são dor, inchaço, vermelhidão e inflamação na articulação afetada, cálculo renal, febre baixa, taquicardia e calafrios.

O mais comum é que a dor nas articulações acometa o maior dedo do pé, além das articulações dos ombros, joelhos, calcanhares e tornozelos. Pele, pés e mãos também podem apresentar os sinais de ácido úrico elevado.

Outro indicador do problema é a urina muito concentrada e mesmo dificuldade em urinar, podendo ter ainda os problemas renais (cálculos) mais conhecidos como pedras nos rins. Os indivíduos mais propensos a ficar com o ácido úrico elevado são do sexo masculino, com antecedentes familiares de gota e/ou que têm o hábito de consumir álcool.

Tratamento para a Gota

Nem todo mundo que está com hiperuricemia vai necessariamente desenvolver o problema chamado gota, que é muito parecido com os demais sintomas do ácido úrico elevado, mas com dores muito fortes. Além disso, a gota costuma aparecer e durar alguns dias e depois vai embora. No entanto, o problema retorna, podendo demorar até dois anos para uma segunda crise.

Quando não tratada a gota, as crises ficam mais frequentes e fortes, podendo levar à formação de tofos nas articulações, desenvolvidos pela deposição crônica de cristais de urato. Ao tratar a gota é importante ter o acompanhamento médico, para que o problema seja controlado. O uso de diuréticos e de anti-inflamatórios pode ser prescrito para controlar as inflamações.

Além disso, é importante cuidar da alimentação e em alguns casos até mesmo eliminar da dieta alguns alimentos que são ricos em purina. Exemplos deles são as carnes vermelhas, miúdos, frutos do mar e peixes. Por outro lado, o leite e seus derivados ajudam a eliminar o ácido úrico, devendo ser incluídos na dieta, com moderação.

É também fundamental beber muita água, todos os dias, em média dois litros, para ajudar a eliminar a substância pela urina. Na dieta, devem ser evitados ainda os alimentos industrializados, inclusive, os enlatados, bem como os com excesso de sal e congelados. Por outro lado, é essencial dar preferência às frutas, verduras e legumes frescos e orgânicos, se possível, e aos grãos integrais.

Praticar atividades físicas, a fim de combater a obesidade, que pode complicar o quadro do ácido úrico elevado, e evitar o consumo de álcool, inclusive cerveja, rica em purina, integram o tratamento para evitar e mesmo tratar a gota e outros problemas causados pela elevação do ácido úrico.