Vitiligo Tem Cura?

O vitiligo é caracterizado por ser uma doença que afeta a pele, tendo como sintoma a perda do seu pigmento marrom. Por isso, pessoas que têm vitiligo costumam apresentar em áreas do corpo as manchas brancas irregulares, porém, com a mesma textura da pele normal. Conheça as causas e condições da doença e descubra se vitiligo tem cura.

Em outras palavras, pode-se dizer que o vitiligo é uma despigmentação da pele por falta de melanina. As manchas brancas podem aparecer isoladas ou espalhadas pelo corpo. Quanto à evolução da doença, ela pode estabilizar simplesmente, progredir ou mesmo regredir, mas é tudo imprevisível para a medicina.

Causas do Vitiligo

Estudos apontam que o vitiligo aparece quando as células imunológicas destroem as células que produzem o pigmento marrom (melanócitos). Isso significa que o vitiligo está associado a um problema autoimune, porém, a causa para que isso ocorra é desconhecida.

Não existe uma faixa etária específica em que o vitiligo apareça no paciente, porém, as primeiras manchas podem surgir na infância até os cinco ou sete anos ou na adolescência. Estima-se que em 50% dos casos, o vitiligo apareça até os 20 anos. Além disso, constatou-se ao longo dos anos que há um índice elevado da doença em algumas famílias. Quando o vitiligo é autoimune, observa-se que o problema pode ter origem genética, isso significa que outras pessoas da família também possuem as manchas brancas na pele. Nos Estados Unidos, a doença afeta uma pessoa em cada 100.

O vitiligo está relacionado, ainda, a outras três doenças autoimunes: Doença de Addison, Hipertireoidismo e Anemia perniciosa. O problema pode estar associado também com o melanoma, um tipo de câncer de pele, ou diabetes do tipo 1 e, menos raro, ao lúpus e a miastenia. Algumas pessoas podem também ganhar mechas brancas nos cabelos e pelos brancos pelo corpo.

Embora não existam estudos completos, há outras duas teorias sobre o processo que causa o vitiligo, além de ser uma doença autoimune. Uma delas é a teoria neural, na qual o vitiligo segmentar (que acompanha o trajeto do nervo) ocorre na região de um nervo e é incitado pela liberação de neuropeptídios (substâncias que bloqueiam ou até mesmo eliminam os melanócitos – células que produzem melanina, pigmento escuro da pele).

A outra teoria, a citotóxica, afirma que substâncias como as derivadas da hidroquinona podem desencadear a despigmentação da pele própria do vitiligo, assim, perde a cor mesmo a área que não é afetada pelo problema. Essas substâncias estão em materiais como a borracha e os tecidos emborrachados, os quais possuem derivados da hidroquinona.

Por isso, o conselho é a pessoa que tem a doença evitar o uso de roupas que possua em sua constituição borracha, como também não manusear objetos com borracha, a fim de evitar que o vitiligo se propague para as mãos.

Tratamento e Cura do Vitiligo

Para a medicina, não é fácil tratar o vitiligo, sendo que os pacientes que possuem a doença costumam, em um primeiro momento, fazer o tratamento de fototerapia. Ele consiste em expor a pele cuidadosamente à luz ultravioleta. Para tornar mais eficaz o resultado, o paciente pode antes de a exposição ingerir um fármaco para deixar a pele mais sensível à luz.

Quando o vitiligo está associado a doenças como diabetes e outras, por exemplo, havendo o controle da mesma o vitiligo pode se estabilizar. Também se constatou que traumas e distúrbios emocionais significativos para uma pessoa podem piorar os sintomas do vitiligo. Dessa forma, o acompanhamento psicoterápico é útil para o tratamento.

Outras técnicas de tratamento do vitiligo consistem em loções ou pomadas com corticosteroides ou com imunossupressores, como pimecrolimus (Elidel) e tacrolimus (Protopic). Também podem ser usados remédios tópicos, como metoxisaleno (Oxsoralen), além de remover a pele das zonas pigmentadas normalmente e colocá-la onde existe a falta de pigmento, o chamado enxerto.

Existem pessoas que preferem usar as tintas e maquiagens próprias para cobrir a pele sem a pigmentação. Já quando a maior parte da pele está sem pigmento uma alternativa é despigmentar onde ainda existe cor. Porém, apenas em alguns casos isso é feito, uma vez que e pele sem pigmento possui maior probabilidade de sofrer os danos provocados pela exposição solar.

Dessa forma, um tratamento permanente para quem possui vitiligo é sempre usar protetor solar com fator alto e seguir os demais cuidados, como usar óculos escuros e boné.