Zinco Quelato – Para que serve?

Zinco quelato é o mineral na forma de suplemento, que deve ser ingerido quando existe deficiência do mesmo no organismo. Porém, como existem muitos alimentos ricos em zinco, o melhor é ingeri-los com regularidade para que a suplementação não seja necessária. O zinco quelato também é conhecido como um fertilizante, usado em plantas que precisam do mineral.

O que é Zinco Quelato e para que serve

O zinco é um mineral que está associado a diferentes funções do organismo, incluindo a cicatrização de ferimentos e o crescimento dos cabelos e pelos. Outras funções do zinco no organismo estão relacionadas à fertilidade, imunidade, na percepção do sabor e do olfato e na síntese do DNA.

Tudo isso se deve porque o mineral intervém no metabolismo de proteínas e ácidos nucleicos, estimulando a atividade de mais de 100 enzimas. Por isso, o zinco é um dos mais importantes colaboradores do bom funcionamento do sistema imunológico. Outro motivo que o torna essencial é que ele aumenta a produção de células brancas e ajuda a combater a infecção de modo muito eficiente, além de liberar mais anticorpos. O zinco também estimula a produção das células que combatem o câncer, matando as células cancerosas.

Dosagem do Zinco Quelato

Além de uma alimentação pobre em zinco, o que também pode causar a deficiência do mineral no organismo são os casos de alcoolismo, quando é eliminado pela urina ou, ainda, devido à excessiva eliminação por causa de desordens digestivas, como diarreias e outros problemas.

Nesse sentido, os níveis no sangue de zinco devem variar entre 70 e 130 mcg/dL e na urina é normal encontrar-se entre 230 a 600 mcg de zinco/dia. Para tanto, existe uma recomendação de ingestão diária, que varia conforme a idade, veja a seguir:

  • De 1 a 3 anos: 3,0;
  • De 4 a 8 anos: 5,0;
  • De 9 a 13 anos: 8,0;
  • De 14 a 18 anos (homens): 11,0;
  • De 14 a 18 anos (mulheres): 9,0;
  • A partir dos 18 anos (homens): 11,00;
  • A partir dos 18 anos (mulheres): 8,0.

Deficiência de Zinco

Entre os efeitos da deficiência de zinco está a fragilidade e perda dos cabelos, o organismo fica mais suscetível a doenças e torna-se mais difícil o processo de cicatrização. Além disso, a falta do mineral pode ser responsável por quadros ainda mais complexos, como o retardamento no crescimento, impotência sexual e imaturidade sexual nos adolescentes.

A falta de zinco no organismo causa ainda outros sintomas, entre eles, cansaço, apatia e depressão, bem como lesões oculares e de pele, inclusive acne, unhas quebradiças e até mesmo amnésia. Perda de apetite, perda de peso, bem como dificuldade em usar o olfato são outras consequências da deficiência do mineral. Isso ocorre porque o zinco está concentrado, no corpo humano, principalmente no cabelo, pele, olhos, unha, fígado, pâncreas, ossos, próstata e em glândulas.

Além disso, o zinco não sai apenas pela urina, como pelo sêmen, cabelo e pelas descamações da pele. Vale lembrar que o mineral deve ser ingerido todos os dias na quantidade indicada, pois o organismo não consegue armazená-lo. Existem também remédios que podem atrapalhar a absorção de zinco, como os inibidores da ECA (anti-hipertensivos), diuréticos tiazídicos e ácidos, além de Omeprazol e similares, bem como o uso em excesso de bicarbonato de sódio.

Por outro lado, ingerir o suplemento de zinco sem acompanhamento médico pode causar um excesso de ingestão do mineral, o qual também vai contar com efeitos negativos. Entre eles, náusea, problemas com o sistema imune e diminuição, eventualmente, dos níveis do colesterol bom. Em alguns casos pode até mesmo atrapalhar a absorção de outros minerais pelo organismo, como o ferro e o cobre.

Alimentos Ricos em Zinco

Entre os alimentos com maior quantidade de zinco, estão:

  • Ostras cozidas: 100g = 39mg;
  • Carne de boi assada: 100g = 8,5mg;
  • Peru cozido: 100g = 4,5mg;
  • Carne de vitela cozida: 100g = 4,4mg;
  • Fígado de frango cozido: 100g = 4,3mg;
  • Sementes de abóbora: 57g = 4,2mg;
  • Feijão de soja cozido: 86g = 4,1mg;
  • Cordeiro cozido: 100g = 4mg;
  • Amêndoa: 78g = 3,9mg;
  • Amendoim: 72g = 3,5mg.

O zinco também é encontrado em aves, alguns pescados, como camarão e mariscos, favas, nozes, gérmen de trigo, grãos integrais, castanhas, cereais, tubérculos e legumes. Durante a gestação e no período de amamentação, as mulheres podem consumir um pouco mais do que o indicado do mineral.