Cervicite Crônica – Sintomas, Causas e Tratamentos

A cervicite crônica consiste em uma irritação provocada por inflamação que se manifesta de modo constante no colo do útero. O mais comum é que apareça em mulheres jovens, que estejam entre os 18 e os 25 anos, causando corrimento acinzentado, amarelado ou esverdeado. Sua origem está ligada a lesões do colo do útero, sendo que conforme o fator desencadeante pode ser contagiosa se a mulher tiver relações sexuais.

Por outro lado, a cervicite nem sempre apresenta sintomas, tornando o seu diagnóstico mais demorado. Porém, se necessário o médico ginecologista pode fazer e/ou solicitar exames como o swab vaginal ou Papanicolau, esse último vai verificar a presença do micro organismo que causa o problema.

A cervicite também pode ser aguda e, nesse caso, entretanto, o seu diagnostico apenas ocorre por meio dos exames ginecológicos. Por isso, é aconselhável que todas as mulheres se consultem com um especialista uma vez por ano.

Quanto à cervicite crônica, mesmo depois de tratada, a doença pode se repetir muitas vezes, exigindo tratamento prolongado até chegar a sua cura. Além disso, mulheres com o problema crônico podem não só ter dificuldade de engravidar, como o risco de aborto é maior, ou mesmo, parto prematuro.

Durante o parto, a mulher com a doença pode lesionar a visão da criança, além de provocar uma séria infecção no recém-nascido durante as primeiras semanas de vida.

Sintomas da Cervicite Crônica

Quando a mulher apresenta os sintomas da cervicite crônica, os mais comuns são:

  • Dor forte no baixo ventre (parte inferior da barriga);
  • Dor ao toque vaginal;
  • Secreção com pus;
  • Febre;
  • Dor ao urinar;
  • Sangramento durante o ato sexual;
  • Corrimento amarelado ou esverdeado;
  • Sangramento fora da menstruação.

Quando não tratada, a Cervicite Crônica pode ficar mais série e até mesmo causar a infertilidade da mulher.

Causas da Cervicite Crônica

Existem causas diferentes para o surgimento da Cervicite Crônica, entre elas, as DST’s – doenças sexualmente transmissíveis são as mais comuns. Clamídia, gonorreia, tricomonas e HPV, além de outras infecções causadas por bactérias e micróbios, como estafilococos, herpes-vírus ou estreptococos podem provocar a doença.

Quando o que desencadeia o problema tem como causa uma bactéria, o mais comum é que tenha ocorrido a proliferação desregulada de alguma bactéria natural da flora vaginal. No entanto, as que mais frequentemente causam a Cervicite Crônica são a clamídia e gonorreia. A gravidez é outro fator que pode provocar o problema, bem como a sensibilidade a produtos químicos, incluindo os que integram a fórmula de espermicidas e do látex das camisinhas. Até mesmo os anticoncepcionais orais podem causar a Cervicite Crônica, ao provocarem alergias. A inflamação pode se desenvolver ainda mais sem os cuidados com a higiene adequados.

Tratamentos para Cervicite

Conforme a causa da cervicite o médico ginecologista vai escolher o tratamento mais adequado para a doença. Na maioria das vezes, entretanto, se opta pelo com uso de remédios e pomadas antibióticas, exemplos são a Novaderm ou Donnagel, as quais controlam a infecção do útero.

Em casos em que as pomadas não resolvam o problema, parte-se para a cirurgia, na qual se remove o tecido infectado. Normalmente, o procedimento é realizado no ambulatório com anestesia local. Depois, a mulher pode voltar para casa no mesmo dia, sem dores ou complicações.

Recomenda-se que além de redobrar os cuidados com a higiene íntima, a mulher evite as relações sexuais durante o tratamento. Caso o parceiro seja infeccionado, a mulher pode ter novamente o problema. Também é preciso que o parceiro seja examinado, pois se a Cervicite Crônica for observada nele, é preciso que seja tratado também.

Como prevenir a Cervicite

É possível prevenir a doença e evitar os transtornos que a Cervicite pode causar. Uma forma eficiente é usar camisinha em todas as relações sexuais, mesmo com parceiros fixos e de longa data. Alimentação e atividades físicas regulares também são aliadas no combate dessa e de muitas outras doenças, pois muitas vezes se manifestam apenas porque a imunidade do organismo está baixa, o que é uma porta aberta a diferentes problemas de saúde.

Além da Cervicite, os exames preventivos, como o papanicolau, podem diagnosticar problemas que ao serem tratados não evoluem e, por consequência, não resultam em riscos para a saúde.