Chá de Espinheira Santa

A espinheira-santa, cientificamente conhecida como Maytenus ilicifolia é uma planta que pertence à família Celastraceae. Ela é conhecida por uma série de outros nomes, alguns são:

  • espinheira-divina
  • maiteno
  • salva-vidas
  • coro-milho-do-campo
  • espinheira-divina
  • sombra-de-touro
  • erva-cancerosa
  • congorça
  • cancerosa
  • cancorosa
  • espinho-de-deus

A sua fama não é novidade, ela é tida como uma planta medicinal conhecida e usada há muito tempo pelos Índios da América do Sul. O nome espinheira-santa, o mais usado para identificá-la, refere as suas folhas, as quais possuem pequenos espinhos, e por ser considerado um “santo remédio”.

Diferente de outras ervas, já foi testada cientificamente e comprovada sua eficácia para o tratamento de problemas gastrintestinais, entre eles, gases, úlcera e gastrite. Embora o mais comum seja ingerir o seu chá através da infusão de suas folhas, também é possível encontrar a espinheira santa em forma de cápsulas e tintura.

Hoje em dia, é fácil adquiri-la em lojas e demais estabelecimentos que vendem chás e plantas. No entanto, pode ser plantada em jardins com espaço, pois a espinheira santa chega a alcançar o porte de uma árvore, com até três metros de altura. Mas se for plantada em vasos grandes, não ultrapassa um metro de altura.

Entre os seus componentes estão:

  • terpenos (maitenina)
  • triterpenos
  • taninos
  • flavonoides
  • mucilagens
  • antocianinas
  • açúcares livres
  • traços de sais minerais

Propriedades da Espinheira Santa

Entre as suas principais propriedades estão:

  • ação cicatrizante de lesões ulcerosas do estômago por causa da redução da acidez estomacal pelo aumento da secreção gástrica
  • anti-inflamatória
  • antiulcerôgenico (potente efeito anti-úlcera gástrica graças à ação dos taninos)
  • calmante
  • analgésica nas gastralgias (dor de estômago), assim, acalma em pouco tempo as dores, além de estimular e corrigir a função desviada
  • tonificante estomacal
  • levemente diurético, devido à presença de triterpenos
  • levemente carminativa (auxilia na eliminação de gases)
  • leve efeito laxante por causa da presença de mucilagens
  • ação antisséptica em decorrência da expressiva quantidade de taninos, que age muito rápido na paralisação das fermentações gastrintestinais

Alguns estudos iniciais apontam que a espinheira santa pode, ainda, inibir o desenvolvimento de alguns tipos de câncer. Também já demonstrou alguma eficiência no combate à Helicobacter Pylori, bactéria que causa úlcera gástrica, podendo desenvolver um câncer gástrico.

Indicações para usar Espinheira Santa

Devido a todos os efeitos benéficos que a espinheira santa possui, ela é indicada para uma série de tratamentos. Confira quais são eles:

  • acidez do estômago
  • azia
  • gastrites causadas ou não pela bactéria Helicobacter Pylori
  • gastralgias (dores no estômago)
  • úlcera gástrica
  • úlcera duodenal
  • sintomas de dispepsias (perturbações do trato gastrintestinal)
  • enterites (inflamação do intestino)
  • mau hálito decorrente de problemas estomacais
  • fermentações gastrintestinais
  • flatulência (gases)

Contraindicações da Espinheira Santa

Embora o chá da espinheira santa possa causar a sensação de boca seca e um pouco de náusea, não chega a ser um problema. No entanto, ela é contraindicada para algumas pessoas, como gestantes e mulheres que estejam fazendo tratamento contra infertilidade, uma vez que tem efeito abortivo. Isso foi comprovado cientificamente devido ao seu efeito emenagogo, que pode causar contrações uterinas.

Mulheres que estejam amamentando também não devem beber o chá da espinheira santa porque o seu uso pode reduzir a quantidade de leite materno. Pessoas dependentes ou que sejam sensíveis ao álcool não podem usar a tintura da espinheira santa, pois essa contém a substância, no entanto, podem beber o seu chá. É contraindicada, ainda, por pacientes que tenham câncer estrógeno-dependente.

Modo de Uso da Espinheira Santa

A forma mais simples de fazer uso da espinheira santa é bebendo o seu chá. Para tanto basta ferver uma xícara de água e depois adicionar uma colher de chá de suas folhas secas. Cubra a xícara e deixe descansando por 10 minutos, depois coe e beba o chá morno. O indivíduo pode beber três xícaras do chá por dia.

Para ser mais eficiente, rasgue as folhas da planta antes de colocá-la em infusão. Outra medida para fazer o chá é usar 20g de folhas de espinheira santa para um litro de água. O melhor é sempre beber a xícara do chá antes das principais refeições do dia. O chá dessa planta também pode ser usado na pele, para auxiliar o tratamento da acne, eczemas e outros problemas.

A espinheira santa é encontrada, ainda, em formato de cápsulas. A indicação é que seja consumida de uma a duas cápsulas de 500mg da planta antes de duas das principais refeições do dia. No entanto, para não haver superdosagem e para o tratamento se mostrar mais eficiente você pode conversar com o seu médico sobre a melhor forma de administrar o produto.

Já quem optar pela tintura de espinheira santa, na forma de fitoterápico, pode consumir 2,5 ml (de um copo medidor que geralmente acompanha o frasco) diluídos em meio copo de água. O produto pode ser bebido duas vezes ao dia, antes das principais refeições ou a critério do médico ou farmacêutico, que poderá prescrever o melhor tratamento para cada indivíduo. A tintura de espinheira santa é encontrada em drogarias e farmácias de manipulação.

Espinheira Santa Emagrece?

A espinheira santa não emagrece, mas é uma planta que pode ajudar o organismo quando a pessoa estiver em processo de emagrecimento. O seu efeito diurético elimina o excesso de líquidos e por ser digestivo ajuda no bem estar de qualquer pessoa.

Onde cresce e como encontrar a espinheira-santa

A espinheira santa prefere solos ricos em matéria orgânica, sendo que atualmente é encontrada nos estados do sul do Brasil, nos sub-bosques das florestas de Araucária nas margens dos rios. Também cresce em São Paulo (na Mata Atlântica) e Mato Grosso do Sul, porém em pequena quantidade.

A planta é achada, ainda, em partes do Paraguai, Bolívia e Leste da Argentina. Para fins medicinais o mais adequado é que ela seja plantada na primavera ou no verão e a sua colheita deve ser feita apenas uma vez por ano, depois de dois anos do plantio. No entanto, facilmente pode ser encontrada em lojas que vendem plantas e ervas.

Leave a Reply