Como Acabar com as Estrias – 5 Tratamentos para Manchas

Você sabe o que são estrias? As estrias são o resultado do rompimento das fibras elásticas da derme (camada intermédia da pele, situada logo abaixo da epiderme). Isso pode ocorrer devido um estiramento (lesão muscular indireta) provocado por diversos fatores. Entre eles, os mais comuns são gravidez, ganho de peso, uso prolongado de corticoides, predisposição genética ou mesmo crescimento rápido.

Tipos e características diferentes das estrias

Saber identificar o tipo de estria que você possui vai ajudar a escolher o melhor tratamento para reduzir o seu número ou mesmo eliminá-las de uma vez por todas.

  • Brancas: são mais antigas, sendo menos visíveis, porém, mais difíceis de desaparecer. Elas podem ser ainda superficiais e estreitas ou profundas e largas.
  • Vermelhas: estão na fase inicial e inflamatória do problema, respondendo com mais eficácia as tratamentos. Já que elas têm mais capacidade de regeneração, quando tratadas a melhora pode ser de 100%.
  • Arroxeadas: é o segundo estágio de desenvolvimento, tendo uma melhora de 70% quando tratadas.

5 Tratamentos para acabar com as estrias

Existem várias maneiras de tratar as estrias, sendo que se elas forem brancas, exigem tratamentos mais evasivos, porque já são mais velhas e difíceis de saírem. Consultar um médico especialista é importante para que ajude você a escolher qual o melhor tratamento para acabar com as estrias.

Além disso, alguns tratamentos possuem suas limitações, não sendo indicados para mulheres que estão grávidas ou amamentando, tampouco para quem tem problemas cutâneos, diabetes ou hipertensão.

1. Ácidos para acabar com as estrias

Ácido retinoico, glicólico e l-ascórbico são os três tipos que podem combater as estrias, sendo o primeiro a melhor opção. Ele ajuda a aumentar a produção de colágeno, além de reorganizar as fibras elásticas e reduzir o comprimento e largura das estrias. O procedimento também é simples e pode ser feito em casa, com a aplicação do produto sobre as estrias, à noite, antes de dormir.

Já que o ácido pode irritar a pele, recomenda-se o uso de um creme hidratante depois do banho todos os dias. Existem hidrantes específicos para cada estágio e tipo de pele, assim, tornando-se mais eficiente, mas devem ser prescritos por um dermatologista. Outro cuidado é não usar o ácido um dia antes e dois dias depois de exposição solar.

Durante o tratamento com o ácido é importante usar protetor solar. O retinoico é mais eficaz em estrias novas, as avermelhadas, mas funciona também nas brancas, porém, o resultado vai ser mais demorado.

2. Cremes para tratar estrias

A variedade no mercado é ampla, sendo que os cremes que combatem as estrias recebem em suas fórmulas os complexos antielastese, os quais protegem o colágeno e a elastina da degradação, além de óleos vegetais, que contam com propriedades antioxidante e hidratante. Alguns cremes podem conter, ainda, ácidos e por isso é importante conversar com um dermatologista antes de começar a aplicação, que deve ser feita depois do banho, quando os poros dilatam e as substâncias são melhores absorvidas.

3. Tratamentos a laser

Esses tratamentos são muito procurados, pois oferecem resultados satisfatórios e rápidos, ainda mais quando em conjunto com a luz pulsada. O tratamento ocorre por meio de disparos do laser sobre as estrias e a região do entorno, a fim de estimular a produção de colágeno e a reconstrução das fibras.

Uma sessão pode durar de 10 minutos até uma hora, dependendo da área tratada. Outra vantagem do laser é que ele atua nos diferentes tipos de estrias. Porém, além das contraindicações básicas, também não é indicado a pessoas que sofrem de lúpus, problemas de coagulação ou outras doenças ligadas ao colágeno.

4. Luz pulsada

Também é muito eficiente, inclusive, quando é usado com o laser. Só ela, entretanto, faz mais efeito nas estrias novas, ao utilizar tecnologia que emite luz, semelhante ao laser. De igual forma, a luz gera calor na pele, estimulando o colágeno.

5. Peeling

Assemelha-se ao uso do ácido, com a diferença que é uma aplicação mais concentrada. Depois de tratar em consultório, é preciso que o produto fique na pele de seis a oito horas, depois, é retirado pela própria pessoa, em casa, no banho.

É eficiente com todos os tipos de estrias, a não ser que haja ulceração do local. Aconselha-se também a combinação com o peeling de cristal ou diamante, para fazer uma pequena esfoliação local e estimular a produção do colágeno.