Descobrimento da América

O descobrimento da América deu partida no dia 3 de agosto de 1492, uma sexta-feira, quando Cristóvão Colombo levantou âncora na cidade de Palos em direção ao Atlântico. Eram três navios: Santa Maria, Pinta e Niña e 87 homens a bordo, que atravessaram o oceano rumo ao continente desconhecido para eles, embora não soubessem disso.

Foram meses de viagem, a tripulação estava aflita achando que nunca chegaram ao destino e que uma volta à Espanha seria muito difícil. No caminho, os marinheiros foram surpreendidos por tempestades, a comida estava chegando ao fim, contam as histórias daquela época, que apenas Colombo se mantinha esperançoso sobre a chegada às índias.

Isso porque não era o Novo Mundo que eles procuravam, mais sim, um novo caminho para chegar às índias. Naquela época, os portugueses tinham que contornar todo o litoral africano para atingir o destino, onde compravam, principalmente, especiarias, o que significa um comércio muito lucrativo.

No entanto, o genovês Colombo acreditava que era possível realizar um caminho mais curto para chegar ao destino e buscou financiamento para chegar às índias contornando a Terra. Ele não conseguiu o que pretendia, mas para sua sorte chegou ao continente americano, até então, desconhecido para os europeus.

Isso foi possível graças aos reis católicos da Espanha, que aceitaram dar o dinheiro necessário para a sua viagem. O primeiro local onde Colombo atracou com seus navios quando chegou às Américas foram nas ilhas das Caraíbas (Antilhas), em outubro do mesmo ano, e mais tarde, na costa do Golfo do México na América Central.

História de Cristóvão Colombo

OLYMPUS DIGITAL CAMERANavegador e explorar, Colombo nasceu em Génova, Itália. O seu nome inspirou o nome do país Colômbia e de duas regiões da América do Norte: o Distrito de Colúmbia nos Estados Unidos e a Colúmbia Britânica no Canadá. Já que o irmão de Colombo, Bartolomeu, trabalhava como cartógrafo do reino português, o navegador pode conviver com os melhores profissionais da geografia, cartografia, astronomia e arte náutica daquela época.

Esses fatos foram fundamentais para tornar Colombo o navegador que era. Depois de muito estudar, começou a acreditar na nova rota para as índias. Colombo, em 1485, apresentou ao rei D. João II o projeto de chegar ao seu destino pelo ocidente. O plano foi recusado, pois Portugal estava firmemente resolvido a chegar às índias via Périplo Africano.

Dessa forma, o navegador então buscou patrocínio com a Inglaterra e com a França, mas depois de novas recusas, acabou indo até a corte espanhola. Em princípio, não obteve êxito em seu projeto e foram várias as tentativas, além de ter encontrado problemas no meio do caminho, que refutavam a sua teoria.

Mas em 1492 convenceu a Espanha a arcar com as despesas de sua viagem. Colombo morreu em Valladolid, em 1503, sem prestígio e sem honras oficiais.

Chegada às Américas

Depois de chegar à primeira ilha do continente americano, Colombo foi de ilha em ilha em busca de riquezas, mas não encontrou nenhum palácio, como imaginava, apenas nativos nus. Além disso, Colombo acreditava que tinha chegado ao reino de Cipango, no Japão e, portanto, às índias. Foi por causa desse erro geográfico que os nativos do Novo Mundo começaram a ser chamados de índios.

Foi em outubro de 1942 que a frota chegou a uma ilha do grande arquipélago localizado entre o golfo do México e o mar das Caraíbas, sendo que mais tarde ganhou o nome de Antilhas. Colombo navegou em torno, buscando onde ancorar. Na costa, os marinheiros viam intrigados os animais de asas brancas, além de homens, mulheres e crianças nus, que se aglomeravam no local. Essa primeira terra descoberta recebeu o nome de San Salvador.

Colombo navegou, ainda, entre as Bahamas, até chegar a Cuba. Em dezembro, aportou no  Haiti, onde a paisagem o fez se recordar da Espanha e, por isso, batizou o lugar de Hispaniola. Depois de voltar à Espanha, conseguiu um novo patrocínio para continuar a sua exploração.

Dessa vez, ele garantiu que encontraria os “telhados de ouro” de que falara Marco Pólo em suas antigas escrituras, as quais inspiraram o navegador. Foram mais duas viagens às Américas. Enquanto isso, Vasco da Gama conseguiu chegar às índias, por uma nova rota, em 1498, e Cabral, ao Brasil, em 1500.

Porém, foi apenas Américo Vespúcio que percebeu que essas terras formavam um novo continente e, por isso, foi denominada de América, em sua homenagem.