Domínios Morfoclimáticos do Brasil – Conheça Todos

Semelhante aos ecossistemas brasileiros existe outra forma de classificar o tipo de vegetação e as demais características do solo e clima brasileiros. São os chamados domínios morfoclimáticos, que foi utilizado e estudado pelo geógrafo brasileiro Aziz Ab’Saber, que faleceu em 2012. A classificação e o levantamento sugerido pelo geógrafo incluem os diferentes elementos que compõem uma paisagem, como o relevo, clima, tipo de solo, hidrologia, além da vegetação. Quanto ao termo morfoclimático, refere-se às características morfológicas e climáticas. mapa-dos-dominios-morfoclimaticos Com o estudo da diversidade paisagística existente no país, portanto, foram classificados seis diferentes domínios morfoclimáticos, além das faixas de transição. Elas se caracterizam por conter traços de dois ou mais domínios. As regiões, que segundo a classificação dos ecossistemas chamam-se Pantanal, Agreste e Cocais, constituem as faixas de transição. Os domínios podem perder suas particularidades devido a problemas ambientais, como o desmatamento, mudanças climáticas e, especialmente, atividades humanas. Entre elas, destacam-se a agricultura em grande escala, como a produção de soja, além da pecuária, mineração e atividade madeireira.

Divisão dos Domínios Morfoclimáticos do Brasil

1. Domínio Amazônico

dominio-amazonico Está localizado na região que abrange a Amazônia, sendo sua maior parte na região norte. Entre seus diferenciais, está a grande diversidade da flora e da fauna. Já o relevo conta com planaltos e planícies, enquanto a distribuição da vegetação se divide em três partes:

  • Mata de Várzea – áreas que ficam inundadas periodicamente, conforme as cheias dos rios.
  • Mata de Terra Firme – está localizada nas áreas mais altas, onde são vistas, principalmente, as árvores de grande porte.
  • Igapó – nessas zonas, as florestas estão permanentemente alagadas.

2. Mares de Morro

dominio-mares-de-morro Esse domínio morfoclimático está situado ao longo do litoral, recebendo o nome de mares de morros por causa da sua estrutura geológica. Uma de suas particularidades são os dobramentos cristalinos da Era Pré-Cambriana, um tipo de relevo que sofreu intensa ação erosiva ao longo dos milhões de anos. Como resultado, morros com vertentes arredondadas. Já a vegetação predominante é a Floresta Tropical Úmida ou Mata Atlântica. A sua diversidade é rica: mais de 20 mil espécies de plantas, das quais 8 mil são consideradas endêmicas (encontradas apenas nesse local). A maioria das capitais brasileiras está localizada nesse domínio e a urbanização é um dos principais culpados pela devastação dessa região. Outros fatores é a extração de Pau-Brasil e a expansão das atividades agrícolas. Hoje, existem apenas 7% de sua mata original, que se protege nas áreas de difícil acesso, como nas encostas íngremes.

3. Cerrado

dominio-do-cerrado Esse domínio abrange os planaltos e chapadões do centro-oeste, sendo que a sua peculiaridade são os arbustos e árvores de médio porte que costumam aparecer afastadas entre si. Já as suas cascas são grossas e os galhos e troncos retorcidos. No Cerrado, o principal problema ambiental são as queimadas. Após a década de 1950, esse domínio foi muito degradado, em especial, devido à construção de Brasília e à abertura de estradas. A expansão da fronteira agrícola, a plantação de soja e o uso como pastagem contribuem para o problema.

4. Caatinga

dominio-caatinga Abrange o sertão nordestino, sendo específico dessa área, graças ao clima semiárido que a caracteriza. Além de pouca chuva, outra particularidade desse domínio é a vegetação constituída por plantas xerófilas. Essas espécies se adaptam mais facilmente ao clima seco, podendo armazenar água em seu interior, e seus espinhos substituem as folhas. O mecanismo evita a perda de água. A agricultura e a criação de animais são os principais fatores para a descaracterização dessa área.

5. Mata de Araucárias

dominio-da-araucaria Abraça as áreas de altitude do sul brasileiro, sendo esse domínio, também chamado de Mata dos Pinhais, associado ao clima subtropical e, portanto, com temperaturas mais baixas. Uma das árvores predominantes é o pinheiro-do-paraná. Durante a colonização, imigrantes italianos e alemães a usaram muito na construção de casas. O domínio sofre com as indústrias de celulose e a de móveis.

6. Pradarias

dominio-pradaria Mais conhecido como Pampa ou Campanha Gaúcha, esse domínio é formado pela vegetação rasteira, que incluem espécies herbáceas e gramíneas. Ao sul do país, as pradarias contam com relevo suavemente ondulado (coxilhas), ideais para a pecuária extensiva e cultivo de soja e trigo. Assim, tanto o pisoteio constante do gado quanto a monocultura colaboram para a compactação e redução da fertilidade do solo, resultando na sua desertificação.