Embolia Pulmonar – Sintomas, Causas e Tratamento

O bloqueio da passagem de sangue de uma artéria nos pulmões é o que caracteriza a embolia pulmonar, podendo esse bloqueio ser ocasionado por ar, gordura, líquido amniótico, grupos de parasitas ou células cancerosas. No entanto, é o coágulo de sangue (trombo) a causa mais frequente do problema.

Com o bloqueio da área do pulmão afetada, ocasionam-se repercussões no organismo do indivíduo, o que provoca os sintomas da doença. Além disso, existem situações que facilitam o surgimento de trombos nas veias, que são mais comuns nas coxas, quadris e pernas.

O trombo pode ser pequeno e mesmo chegando até o pulmão não causar sintomas, porém, quando for maior, pode provocar dano pulmonar e, em alguns, casos até levar à morte imediata. Os principais desencadeadores dos trombos são:

Causas da embolia pulmonar

  • Sedentarismo;
  • Varizes;
  • Fumo;
  • Obesidade;
  • Cirurgias;
  • Uso de anticoncepcionais com estrógeno;
  • Fratura nos ossos que imobiliza o paciente por longo tempo;
  • Queimadura;
  • Parto;
  • Histórico familiar de coágulos de sangue;
  • Fraturas dos quadris ou do fêmur;
  • Ataque cardíaco;
  • Derrame;
  • Distúrbios de coagulação;
  • Câncer.

Já a embolia pulmonar causada por gordura pode ocorrer quando o indivíduo tem fraturas expostas que liberam a gordura que está dentro do osso para a corrente sanguínea. Se chegar até os pulmões pode provocar a chamada embolia pulmonar gordurosa. As drogas injetáveis também podem causar a embolia, caso um corpo estranho entre na circulação. Mulheres, na hora do parto, podem ser acometidas pela embolia pulmonar pelo líquido amniótico.

Sintomas da embolia pulmonar

  • Dor/queimadura sob o esterno (dor torácica) aguda ou penetrante;
  • Tosse repentina, podendo ou não expectorar sangue;
  • Respiração rápida e/ou ofegante;
  • Falta de ar;
  • Frequência cardíaca alta;
  • Deficiência respiratória de repente;
  • Ansiedade;
  • Descoloração azulada da pele (cianose);
  • Pele fria e úmida;
  • Tontura;
  • Dor, vermelhidão e inchaço na perna;
  • Tontura ou desmaio;
  • Baixa pressão sanguínea;
  • Suor excessivo;
  • Febre baixa.

Exames diagósticos

Para diagnosticar a embolia pulmonar, o médico vai pedir alguns exames e fazer algumas perguntas para o paciente, inclusive, sobre o seu histórico médico. Para avaliar a situação dos pulmões podem ser solicitados exames laboratoriais para verificar os gases no sangue arterial, bem como ser feita a realização de oximetria de pulso. Já o diagnóstico por imagem pode ajudar a determinar onde está localizado o coágulo de sangue, para tanto, devem ser feitos os seguintes exames:

  • Raio x torácico;
  • Varredura de ventilação/perfusão pulmonar;
  • Angiografia por tomografia computadorizada do tórax;
  • Angiografia pulmonar.

Outros exames que podem ser solicitados são:

  • Exame de ultrassom Doppler das pernas;
  • Tomografia computadorizada do tórax;
  • Níveis de dímero-D;
  • Ecocardiograma.

Tratamento para embolia pulmonar

A embolia pulmonar exige normalmente tratamento de emergência, sendo necessário ao paciente permanecer no hospital com oxigênio. Conforme o caso será necessário dissolver o coágulo, procedimento que recebe o nome de terapia trombolítica.

Para tanto, são utilizados medicamentos com estreptoquinase, ativador do plasminogênio tecidual (AP-t) e anticoagulante para a prevenção de novos coágulos. Entre os anticoagulantes mais comuns estão a heparina e a varfarina, além do fondaparinux, usado situações especiais.

Os fármacos podem ser administrados por veia ou por injeções subcutâneas, há também os remédios que são usados na forma de comprimido. Para ajudar a dosar cada medicação, pode ser necessária a realização de novos exames de sangue, sendo que a medicação pode ser prescrita por vários meses. A cirurgia ocorre apenas em alguns casos.

Quando o paciente não pode usar remédios anticoagulantes, a alternativa é fazer uso do filtro de veia cava inferior (filtro de VCI), um dispositivo que é colocado na veia principal na área do abdômen. O seu objetivo é o de evitar que coágulos grandes se desloquem nos vasos sanguíneos dos pulmões. É possível que seja colocado um filtro temporário que depois será removido.

Como prevenir embolia pulmonar

Para prevenir novos casos de Embolia Pulmonar ou em indivíduos com propensão à doença podem ser receitados remédios anticoagulantes em doses preventivas. Também é aconselhável que as pessoas exercitem as pernas por meio de caminhadas no dia a dia.

Já quando se trata de embolia gasosa, que pode acometer os mergulhadores, o conselho é que os praticantes da atividade sempre sigam todos os procedimentos adequados. Outra dica é não retornar rapidamente à superfície.