Gastrite Crônica – Sintomas, Causas, Tratamentos e Exames

A gastrite crônica inicia quando a mucosa do estômago fica inflamada por mais de três meses. Além disso, o problema evolui de modo lento, sendo que em alguns casos os sintomas não aparecem de forma explícita. No entanto, pode causar sangramentos e o desenvolvimento de úlceras no estômago, o que vai se confirmar com o aparecimento de fezes negras e com cheiro ruim.

Sintomas da Gastrite Crônica

Pacientes com gastrite crônica podem não sofrer com os sintomas habituais que caracterizam o problema. No entanto, é comum que eles tenham dor de estômago quando ele estiver vazio. Além disso, outros sintomas sutis podem ser os seguintes:

  • Desconforto abdominal depois de comer;
  • Dor na “boca do estômago”;
  • Azia;
  • Sensação de estômago cheio, mesmo comendo pouco;
  • Perda do apetite;
  • Náusea;
  • Vômito.

Quando a gastrite crônica fica mais grave, provocando úlceras gástricas hemorrágicas, os sintomas podem evoluir para:

  • Fezes pretas;
  • Vômito com sangue de cor viva;
  • Vômito de sangue parcialmente digerido, assemelhando-se à borra de café.

Causas da Gastrite Crônica

O que provoca o aparecimento de uma gastrite crônica no indivíduo são causas diversificadas, as conhecidas são as seguintes:

  • Tratamentos prolongados com ácido acetilsalicílico e de anti-inflamatórios, como é o caso da Aspirina, que muitas vezes é usado de modo indiscriminado.
  • Ingestão de bebidas alcoólicas de modo exagerado e frequente e/ou alcoolismo;
  • Doença de Crohn (doença inflamatória que afeta a parte inferior do intestino delgado e intestino grosso);
  • Infecções bacterianas e virais, como citomegalovírus e vírus de herpes;
  • Distúrbios autoimunes, como anemia perniciosa;
  • Refluxo da bile no estômago;
  • Abuso de cocaína;
  • Ingestão de substâncias corrosivas, a exemplo dos venenos, ou que causam queimaduras;
  • Estresse excessivo;
  • Trauma ou uma doença grave e súbita;
  • Grande cirurgia;
  • Insuficiência renal.

A gastrite também pode ser autoimune, ou seja, quando o sistema imunológico fabrica anticorpos que agridem o próprio organismo. Além disso, em pacientes com o problema foi encontrada a bactéria Helicobacter pylori, porém, ainda não se sabe se ela é uma das causas da gastrite, responsável pela inflamação do estômago, ou se a bactéria apenas encontra nos pacientes com o problema um lugar propício ao seu desenvolvimento.

Exames Gastrite Crônica

O principal exame realizado para constatar casos de gastrite é a endoscopia, realizada no estômago por meio de um endoscópio. Contagem completa de células sanguíneas, o CBC, também pode ser realizado, a fim de verificar se há anemia ou poucas células sanguíneas.

Os testes para encontrar a bactéria Helicobacter pylori também fazem parte do procedimento, bem como os exames de fezes para constatar sangue nas mesmas.

Tratamento para Gastrite Crônica

Remédios que funcionam como protetores gástricos são eficientes no tratamento da gastrite crônica, porque eles criam uma barreira protetora que impede que o ácido gástrico aflija as paredes do estômago. Com isso, as feridas do local são cicatrizadas, reduzido o quadro inflamatório.

O tratamento também depende das causas da gastrite. No caso de algum remédio ter desencadeado o problema, aconselha-se que o paciente o substitua por outro. O mesmo acontece com outras substâncias que podem piorar o quadro da gastrite.

Antiácidos também podem ser eficientes, porém, somente fazem os sintomas diminuírem e são prescritos quando o problema está relacionado a bactérias. O melhor tratamento para a gastrite crônica, portanto, é a prevenção, já que é um problema que pode durar por mais de ano.

Cuidar da alimentação diminui as crises. Alimentos cozidos, com poucos condimentos e água, são os mais indicados aos pacientes. Torna-se proibido ingerir alimentos apimentados, gordurosos, bem com as bebidas alcoólicas, refrigerantes e sucos industrializados.

O chá da espinheira santa também trata a gastrite, sendo que além de aliviar os sintomas tem a função de antibiótico natural. Assim, é eficiente, inclusive, quando a causa do problema provém da bactéria H. Pylori. Chás de hortelão e alecrim também são bons, já que possuem ação digestiva.

Preferir frutas não ácidas, como banana, maçã, pera, goiaba e mamão, é melhor porque elas não agridem o estômago. Por fim, faça pequenos lanches entre as refeições principais para nunca deixar o estômago vazio. Bolachas água e sal, além das frutas, são boas opções de lanche.