Respiração Celular

A respiração celular acontece quando a energia química acumulada nas moléculas de substâncias orgânicas (lipídios e carboidratos) é extraída. Além disso, a respiração celular é um fenômeno extremamente importância para o trabalho celular e, por consequência, para a manutenção da vida de um organismo.

Pode-se dizer, ainda, que a respiração é a oxidação de compostos orgânicos e não somente a o resultado de trocas gasosas. Além disso, essa oxidação é um procedimento bem complexo, o qual resulta em diferentes compostos essenciais ao metabolismo, além de energia.

A respiração ocorre em todas as células vivas, portanto em todas as partes de um ser vivo, ou seja, não acontece em um local específico. Já a energia desprendida da oxidação dos alimentos será aproveitada na síntese de substâncias, absorção de sais minerais e outros processos.

Quanto à intensidade da respiração, ela depende da necessidade metabólica de cada célula e pode ser medida por meio do gás carbônico liberado e pelo oxigênio absorvido. Diferente da fotossíntese, que depende da presença de luz solar para acontecer, a respiração celular, inclusive nas plantas, é processada tanto no escuro quanto no claro, ocorrendo assim em todos os momentos da vida sua vida.

No caso do mecanismo respiratório ser paralisado, as células do indivíduo deixam de ter a energia que é necessária para desempenhar as suas funções vitais. Se assim for, vai começar um processo de desorganização da matéria viva, o que pode levar à morte do indivíduo.

O que interfere na respiração celular

  • Oxigênio: se estiver ausente, a planta para de respirar aerobicamente e passa a realizar catabolismo anaerobicamente ou fermentação.
  • Gás carbônico: se aumentar a concentração de gás carbônico haverá redução da respiração.
  • Temperatura: se aumentar a temperatura acontece uma maior taxa respiratória, por outro lado, reduzindo a temperatura vai ocorrer a redução da respiração.
  • Substrato disponível: lipídios, carboidratos e aminoácidos são os mais importantes substratos, sendo que quaisquer mudanças nesses compostos intervêm no processo de respiração.

Como acontece a respiração celular

A respiração celular acontece quando grande parte da energia química liberada ao longo da oxidação do material orgânico se transforma em calor. Essa produção de calor, por sua vez, coopera para a conservação da temperatura do corpo de acordo com os níveis necessários para a manutenção da vida.

Dessa maneira, compensa o calor que normalmente um organismo cede para o ambiente, sobretudo nos dias com temperaturas baixas. Pode-se certificar-se disso, em especial, em mamíferos e aves. Já em outros grupos, como de repteis e anfíbios, o organismo se aquece, principalmente, por meio das fontes externas de calor, quando, por exemplo, o animal fica exposto ao sol.

Tipos de respiração

Nos seres vivos, existem dois tipos de respiração, a chamada aeróbica e a anaeróbica, veja quais são as diferenças entre ambas:

Respiração aeróbica

Nesse tipo de respiração, desenvolvem-se principalmente as mitocôndrias, organelas citoplasmáticas que agem de forma similar às usinas de energia. Para tanto, a molécula de glicose é desmembrada, a fim de dar início a substâncias relativamente mais simples.

Quando a glicose é desmembrada, no entanto, não pode ser realizada de modo repentino, o que resultaria em uma energia liberada muito forte, que poderia comprometer a vida da célula. Portanto, ela deve ser desmontada de maneira gradual. Assim, a respiração aeróbica compreende, basicamente, três fases: glicólise, ciclo de Krebs e cadeia respiratória.

Respiração anaeróbica

Acontece quando se extrai energia de compostos sem fazer-se uso de oxigênio. Alguns seres vivos possuem apenas esse tipo de respiração, entre eles, o bacilo de tétano. Já o levedo de cerveja, por exemplo, pode realizar os dois tipos de respiração, conforme a demanda de oxigênio.

Quando um organismo executa a respiração aeróbica, o oxigênio funciona como aceptor final de hidrogênios. Já no tipo anaeróbico, também é preciso algum aceptor de hidrogênios, podendo ser sulfatos, carbonatos ou nitratos. Quando os aceptores de hidrogênios são compostos orgânicos que se originam da glicólise, a respiração anaeróbica é chamada de fermentação.

Fermentação

Nesse tipo de respiração, há um rendimento energético inferior, sendo que a glicose não é totalmente desmontada. Dessa forma, a maior parte da energia armazenada na glicose permanece nos compostos orgânicos que estão nos produtos finais da fermentação. Existem dois tipos principais de fermentação: a alcoólica e a láctica.