Sinusite Tem Cura?

Entre as doenças respiratórias, uma delas é bastante comum: a sinusite. Quando uma pessoa sofre desse mal, significa que os seios da face, chamados de seios paranasais, estão infectados ou inflamados. Os seios nasais são espaços cheios de ar no crânio (atrás da testa, do osso nasal, das bochechas e dos olhos). Eles servem para a troca de ar e muco e se unem às passagens nasais por meio de uma membrana.

A partir do momento que ocorre inchaço no local, a região é afetada, sendo que entre as suas causas estão reações alérgicas e infecções. Além disso, o ar preso no local junto com pus e outras secreções podem resultar na pressão da parede das cavidades, fazendo com que a pessoa sinta dor, que pode ser leve ou forte, durante uma crise de sinusite.

O problema se manifesta de formas diferentes e, por isso, terá tratamentos diferenciados. Quando a sinusite é aguda, dura quatro semanas no máximo, a subaguda tem duração de quatro a oito semanas, já a crônica é quando a crise se estende por mais de oito semanas, podendo se prolongar por meses ou até anos. O último tipo de sinusite é a recorrente, quando ocorrem vários ataques de sinusite aguda durante um ano.

Sinusite Tem Cura

A causa mais comum da sinusite é o chamado desvio do septo, o qual consiste em uma estrutura que divide o nariz em duas cavidades. A inflamação do corneto inferior, mucosa que se localiza na parede lateral da cavidade nasal, que filtra, umidifica e remove a impurezas do ar também causa o problema.

Formação de pólipos na mucosa nasal e malformação dos óstios são outros motivos para uma pessoa ter sinusite e, nesses casos, o problema tem cura, através de cirurgias, que são recomendadas, em alguns casos. Isso porque indivíduos com sinusite crônica podem sofrer graves complicações.

Entre elas, está a celulite periorbitária (processo infeccioso na região dos olhos) e a meningite pneumocócica, que apresenta elevado índice de mortalidade. No Brasil, a cirurgia mais comum para remover o que impede a passagem de ar se chama sinuplastia endoscópica, que consiste em um procedimento minimamente invasivo, feito com o auxílio de um endoscópio. Assim, o médico consegue ver de modo ampliado toda a cavidade nasal para remover o problema.

Sintomas da Sinusite

O mais comum é que os sinais da sinusite aguda em adultos se assemelham a um resfriado que não melhora, ou mesmo, que tem o seu quadro agravado após uma semana dos primeiros sintomas. Entre eles estão:

  • mau hálito;
  • perda do olfato;
  • tosse à noite;
  • fadiga;
  • mal-estar;
  • febre;
  • dor de cabeça;
  • dor como pressão;
  • dor atrás dos olhos;
  • dor de dente;
  • sensibilidade facial;
  • congestão nasal e secreção;
  • dor de garganta;
  • gotejamento nasal.

Enquanto isso, os sintomas da sinusite crônica são os mesmos, porém, são mais suaves, por outro lado, se prolongam por mais tempo.

Causas da Sinusite

Quando as aberturas dos seios nasais ficam bloqueadas e/ou existe acúmulo de muco, pode ocorrer das bactérias e outros germes e desenvolverem com mais facilidade nessa região. Além da proliferação de microrganismos, outras causas da sinusite são alguns outros problemas, hábitos e situações, como:

  • Mau funcionamento dos pequenos cílios dos seios nasais, que auxiliam o muco a sair, devido a outros problemas de saúde relacionados;
  • Resfriados e alergias, que podem aumentar a produção de muco ou bloquear a abertura dos seios;
  • Desvio de septo, um osteófito nasal ou pólipos nasais que bloqueiam a abertura dos seios nasais;
  • Alterações de altitude (voar ou mergulhar);
  • Adenoides (glândulas que crescem durante a infância depois regridem de tamanho) aumentadas;
  • Fumo;
  • Infecções odontológicas;
  • Sistema imunológico debilitado por HIV ou quimioterapia.

Diagnóstico da Sinusite

Para que se tenha certeza de que o indivíduo está com sinusite, o melhor é buscar ajuda médica. O profissional vai examinar o paciente buscando os sinais de pólipos (bolsas de tecido inflamado) no nariz. Para tanto, acende-se uma luz contra os seios nasais ou o médico os apalpa para encontrar a infecção.

É possível que o profissional solicite o exame chamado endoscopia nasal ou rinoscopia para detectar o problema, embora não seja o mais preciso, bem como os raios-X. Já a tomografia computadorizada dos seios funciona para diagnosticar a sinusite e avaliar a anatomia dos seios, definindo, assim, se a cirurgia resolveria o problema.

Quando existem suspeitas de que a sinusite esteja relacionada a um tumor ou uma infecção fúngica, o mais certo é que seja solicitada ao paciente a realização de uma ressonância magnética.

Tratamento da Sinusite

Como a sinusite é curável, apenas em alguns casos, com cirurgia, é necessário que o paciente pratique o autocuidado para não ter novas crises, ainda mais quando a sinusite não é tão grave. Confira as medidas para reduzir a congestão nasal:

  • coloque um pano úmido e quente no rosto várias vezes ao dia;
  • ingira bastante líquido para diluir o muco, inclusive, dois litros de água todos os dias;
  • inale vapor de duas a quatro vezes por dia, podendo ser ao ferver ervas aromáticas, como eucalipto;
  • use spray com solução salina no nariz várias vezes ao dia;
  • use um umidificado.

Cuidados durante as crises de Sinusite

Os descongestionantes nasais em spray de venda livre podem parecer úteis, entretanto, quem usa por mais de uma semana pode ter o seu quadro agravado. Durante uma crise de sinusite, alguns cuidados podem reduzir as suas dores e a pressão nos seios nasais, como evitar viajar de avião e ser acometido por temperaturas extremas, pois as mudanças bruscas agravam o quadro. Evite, ainda, permanecer com a cabeça baixa.

Já os antibióticos não são necessários para o tratamento da sinusite aguda, já que grande parte das infecções desaparece sozinha. Não se automedique. Além disso, a sinusite aguda deve ser tratada durante 10 a 14 dias, enquanto a crônica exige cuidados durante até completar quatro semanas.

Algumas pessoas com sinusite crônica podem necessitar de medicamentos especiais para tratar infecções fúngicas. Enquanto isso, as injeções contra alergia (imunoterapia) podem ajudar alguns pacientes para evitar a reincidência da doença. Converse com o seu médico.

Leave a Reply