Sistema Digestivo

O sistema digestivo no corpo humano tem como principal função atuar na ingestão dos alimentos e na nutrição do organismo. Dessa forma, é possível absorver os nutrientes, eliminar substâncias desnecessárias para o organismo, como a celulose. No entanto, o seu funcionamento é mais complexo e para que ocorra o corpo passa por alterações químicas e físicas ao longo do processo digestivo.

Tudo isso começa na boca e para entender o caminho que o alimento faz desde que entra nesse órgão até ser eliminado, é importante conhecer quais são os componentes do sistema digestivo.

Componentes do Sistema Digestivo

sistema-digestivoBoca: o alimento entra pela boca, é mastigado e depois atravessa a faringe. A mastigação é fundamental, pois assim o alimento poderá reduzir de tamanho, bem como ser umidificado. Nesse momento, o alimento também entra em contato com as enzimas digestivas presentes na saliva (amilase e ptialina).

Elas têm a função de transformar o glicogênio e amido em maltose. A língua também é importante nessa fase da digestão, uma vez que ajuda a reduzir e a diluir o alimento, possibilitando ao organismo capturar os sabores, que por sua vez estimula a salivação, que possui sais que neutralizam a possível acidez do alimento.

Faringe – Esôfago: depois de mastigado, o bolo alimentar segue para a faringe e, então, vai para o esôfago, onde os movimentos peristálticos promovem o envio do bolo alimentar para o estômago. Esse procedimento mecânico também serve para misturar os sucos digestivos ao bolo.

Estômago: é onde está o suco gástrico, rico em ácido clorídrico, lipase, renina e pepsina, os quais são responsáveis por fragmentar as proteínas do bolo. O suco também age sobre alguns lipídios, o que ajuda na absorção de cálcio e ferro, além de eliminar as bactérias.

Ao longo de, aproximadamente, três horas, o bolo permanece no estômago, sendo que água e sais minerais são absorvidos nesta cavidade. Por fim, o bolo se tornou o chamado “quimo” e agora vai ser direcionado ao intestino delgado.

Intestino delgado: é onde ocorre a maior parte da digestão e absorção do que foi ingerido. O processo inicia no duodeno, onde o suco intestinal atua, a fim de transformar proteínas em aminoácidos. A maltose e outros dissacarídeos são digeridos também em função de enzimas como enteroquinase, carboidrase e peptidase.

O suco do duodeno é o pancreático, que vem do pâncreas, tendo em sua constituição bicarbonato de sódio, quimiotripsina, tripsina, amilopsina e lipase pancreática. Todas essas substâncias neutralizam a acidez do quimo e permitem que as proteínas se tornem oligopeptídios. Além disso, os lipídios viram ácidos graxos e glicerol, os carboidratos se tornam maltose e DNA e RNA são digeridos.

Já a bile, produzida no fígado, quebra as gorduras para que as lipases do pâncreas possam trabalhar de modo mais eficiente. As enzimas do suco intestinal deixam moléculas em forma de nutrientes para que possam ser lançados no sangue. Aqui, o alimento é aquoso e esbranquiçado, recebendo o nome de quilo.

Intestino grosso: quando o quilo chega aqui, ele é encaminhado para o reto, onde será eliminado. O intestino grosso absorve água e sais minerais para facilitar o procedimento. As suas bactérias conseguem produzir vitaminas, entre elas, a K e B12.

Divisões do Sistema Digestivo

O aparelho digestivo é dividido da seguinte forma:

  • Trato gastrointestinal superior: formando pela boca, faringe, esôfago e estômago.
  • Trato gastrointestinal inferior: constituído pelo intestino delgado, intestino grosso e reto.

Existe também outra forma de dividir o sistema digestivo, que é o seguinte:

  • Tubo digestivo alto: boca, faringe, esôfago.
  • Tubo digestivo médio: estômago, intestino delgado.
  • Tubo digestivo baixo: intestino grosso.

Glândulas Acessórias

As glândulas acessórias são de extrema importância para o sistema digestivo, uma vez que elas produzem os sucos digestivos, que armazém as enzimas que vão ajudara dissolver os alimentos. Mesmo que o fígado não produza os sucos, ele é responsável pela produção da bílis, que tem a função de emulsificante, ou seja, quebrar a gordura em gotas de pequena dimensão. Isso é essencial para que as substâncias sejam absorvidas.

As glândulas acessórias são as glândulas salivares, existentes na boca e que ajudam a digestão no início do processo, as glândulas gástricas, que atuam na parede interna do estômago e as glândulas intestinais, que se localizam na parede interna do intestino delgado. O pâncreas é outro grande aliado da digestão, uma vez que produz o suco pancreático, existente no duodeno.