Solo Argiloso

O solo argiloso, quanto à categorização dos tipos de solos, é o que se costuma chamar de solo pesado, pois a sua terra é úmida e macia, uma vez que é constituído basicamente por mais de 30% de argila, ferro e alumínio. É o tipo de solo que mais existe no Brasil.

A argila se forma por meio de grãos menores que os da areia e além de água, o solo argiloso detém também mais sais minerais, assim se torna muito fértil. No entanto, se o solo possuir muita argila, pode criar poças depois que chove. Essa água, por sua vez, pode comprometer a circulação de ar e, por consequência, o desenvolvimento das plantas.

Além disso, quando o solo argiloso com excesso de argila está seco, sua porosidade é ainda mais reduzida e, por isso, fica duro e pouco arejado.

Características do Solo Argiloso

solo-argiloso

Por ser um solo pesado, o tipo argiloso conta com pequenos grãos, os microporos, que são bem compactos, uma vez que estão ligados de forma molecular, tornando-o impermeável a líquidos e, por consequência, com grande poder de reter água. Além disso, os grãos desse tipo de solo são tão compactos que se tronam impossíveis de serem enxergados a olho nu. Ou seja, são microscópicos e de cores vivas. Quanto a sua consistência, ela é fina.

Outras de suas características é a grande concentração de nutrientes, pouca acidez e resistência à erosão, além de ser ideal para a atividade agrícola. Para identificar um solo argiloso basta observar o seu comportamento. Depois das chuvas, ele fica bastante encharcado, pois absorve água facilmente. Já durante as secas, ele cria uma camada dura e pouco arejada no terreno, o que atrapalha o crescimento da vegetação.

Tipos de solo argiloso

A chamada terra roxa é um dos tipos de solo argiloso mais importante. Como o seu próprio nome diz, conta com coloração vermelha-roxeada, devido em especial à quantidade de ferro que possui. Essa terra é o resultado de milhões de anos de decomposição de rochas de arenito-basáltico.

Esse tipo de terra está presente no Mato Grosso do Sul, São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul e por ser um dos tipos de solo mais férteis, devido à existência de minerais diversos, é altamente propício à agricultura, em especial, para o cultivo do café.

Curiosamente, o nome terra roxa tem a ver com isso mesmo. O termo surgiu com os imigrantes italianos que trabalharam nas fazendas de café do país entre os séculos XIX e XX. Eles falavam “rosso”, referindo-se à cor vermelha da terra e ao traduzir para o português ficou roxo. Além do café, o solo argiloso aceita bem muitos tipos de plantas, sendo que para algumas oferece todos os nutrientes necessários para a sua sobrevivência.

Outro tipo de solo argiloso é a chamada terra preta, ou terra vegetal, que é rica em húmus. Por isso, é também chamado de solo humífero, uma vez que conta com 10% de húmus (composto de materiais orgânicos – plantas mortas e restos de animais). Sua principal vantagem é a retenção de água adequada, tornando o solo poroso e com boa aeração.

Já na região litorânea do Nordeste, existe um tipo de solo argiloso de cor escura, quase preta, o chamado massapé, muito fértil e, por isso, excelente para a agricultura. Desde o período colonial é conhecida a sua importância, uma vez nele era cultivada a cana-de-açúcar. Além de alta concentração de argila, o massapé se constitui da decomposição do granito.

Ocorre em regiões tropicais que conta com estação seca e úmida bem definida. Assim, quando é seco, esse tipo de solo argiloso se torna rígido, já no período mais úmido fica com uma consistência pegajosa.

Usos do solo argiloso

Desde a antiguidade, a argila (um tipo de barro remodelável) é usada em diferentes culturas como matéria-prima para fabricar muitos objetos. Entre eles, panelas, vasos e demais tipos de recipientes, bem como adornos, cerâmicas, tijolos, telhas e até mesmo arte. Tudo isso está na cultura brasileira também, pois se tem registros de que ainda em meados do período colonial a argila servia para a produção de taipa de pilão.

Diferente do solo arenoso, por exemplo, a argiloso possui maior plasticidade. Dessa forma, ele tem maior capacidade de se fundir, assim, é bastante usado como argamassa de assentamento.