Tipos de Calendários

A origem da palavra calendário é do latim, em que significa o primeiro dia do mês romano e também o dia em que se deveria paga as contas. De forma geral, os calendários desempenham a função de dividir e contar o tempo, para tanto, se aplica um conjunto de regras baseadas na astronomia.

Conheça os tipos de calendários usados em todo o mundo

Atualmente, há em torno de 40 calendários em uso, que podem ser classificados em três tipos diferentes. São eles: solares, lunares e lunisolares.

Calendários Solares

Toma como base o ano solar, também conhecido como tropical, ou seja, se baseiam no movimento da Terra em torno do sol – movimento de translação. Um exemplo desse tipo de calendário é o cristão. Ele é usado no ocidente, sendo que o seu surgimento se deu por causa das populações agrícolas.

O calendário solar marca um dia a cada volta que a Terra faz em torno de si própria, isto é, as 24 horas do dia, além de pontuar um ano a cada volta da Terra ao redor do sol, que são mais precisamente os 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46 segundos do ano.

Além disso, divide o ano em 12 meses. O ano bissexto, que existe a cada quatro anos, que é um dia a mais em fevereiro, é o resultado do arredondamento das horas restantes, ou seja, das seis horas que ficam sobrando.

Calendários Lunares

Eles têm como base o movimento da Lua, como acontece com o calendário Islâmico, que tem uma sequência de meses baseada nas suas fases. Esse tipo de calendário teve origem com os povos de vida nômade ou pastoril, sendo que o dia inicia com o pôr-do-sol.

Além disso, durante o ano são contadas 12 lunações, de 29 dias e 12 horas cada, o que resulta em meses de 29 e 30 dias intercalados, totalizando de 354 ou 355 dias. Para acertar a diferença de 11 dias entre o calendário lunar e o solar é incluído um mês extra. O calendário lunar também exige um ajuste sistematicamente, a fim de coincidir o começo do mesmo com a lua nova.

Calendários Lunisolares

São os calendários que possuem como base tanto o movimento da Terra em torno do sol como o movimento da lua ao redor da Terra. O calendário Hebreu é um exemplo desse tipo. Para tanto, adequa-se o ano lunar às estações do ano, através de intercalação periódica de um mês a mais. Diferença de 11 dias por ano. O começo do ano deve coincidir com o início de uma lunação.

Elementos que compõem um calendário

  • Dia: período de 24 horas, o que equivale ao tempo que a Terra leva para dar uma volta em torno de seu próprio eixo, movimento de rotação. A noção de dia nasce do contraste entre luz solar e noite. É o elemento mais antigo e essencial do calendário.
  • Mês: é o tempo que a Lua demora em dar um giro completo ao redor da Terra, contado em números inteiros. Como a lunação não tem um número inteiro de dias, o mês lunar foi definido como tendo 29 ou 30 dias, para se aproximar da lunação, que é de 29,5 dias.
  • Estações do ano: define-se através das diferentes quantidades de luz que a Terra recebe ao longo do ano, em função da translação e da rotação. Assim, entre setembro e março, quando a inclinação do hemisfério norte faz a Terra se distanciar do sol, acontecem as estações do outono e inverno no hemisfério sul, nas quais há menos de 12 horas diárias de luz solar.
  • Equinócio: significa “noite igual”, ou seja, quando a duração do dia é a mesma da noite. Ocorre, entre os dias 21 de março (equinócio de outono no hemisfério sul) e 23 de setembro (equinócio da primavera no hemisfério sul).
  • Solstício: tem significado de “sol quieto”, já que é quando o sol alcança suas posições extremas nos pontos onde aparece e se oculta, acarretando dias mais longos e mais curtos do ano. Acontece nos dias 22 ou 23 de junho para maior declinação boreal (solstício de inverno no hemisfério sul) e 22 ou 23 e dezembro para maior declinação austral (solstício de verão no hemisfério sul). No hemisfério norte ocorre o contrário.